terça-feira, 31 de agosto de 2021

O "Canto do Cisne" em Cabul, é Apenas o Prenúncio do Que Está Para Vir...

Esta é a simbólica e já histórica imagem do último soldado americano a sair do Afeganistão. Trata-se do Major-General Chris Donahue, que de arma na mão sobe a rampa de um C-17 no Aeroporto Hamid Karzai. Para trás ficam vinte anos de ocupação anglo-sionista e centenas de milhares de feridos e mortos, numa guerra completamente desnecessária.

A derrota dos EUA e da NATO no Afeganistão, é apenas um sintoma de uma doença extremamente grave e profunda, que está há décadas a corroer lentamente os alicerces civilizacionais, daquilo que é comummente conhecido por "Civilização Ocidental". Podem não gostar do "nazi" Andrew Anglin e do seu estilo, mas o diagnóstico que ele faz da actual situação em que se encontram os EUA e o Ocidente em geral, não podia ser mais certeiro:

«It’s clear that “US surrenders in Afghanistan” should have been the headline, but apparently they decided that this would have too big of an impact on people psychologically, so they use this term “pullout” and this term “withdrawal.”

The surrender in Vietnam caused massive trauma to the collective psyche of the United States. But at the time that we lost that war, we had a relatively strong national identity and consciousness. We do not have that anymore.

No one has any idea what “American identity” is. It has something to do with gay sex, trannies, women’s sexual rights, George Floyd, and vaccines, maybe, but no one really has a clear composite image of this idea.

I wrote about that the other day.

The fallout of this is going to be significant, and it will take a while for it to register.»

A cultura ocidental, universalmente aceite há não muitas décadas atrás como sendo uma cultura moral e tecnologicamente superior, degenerou gradualmente nas últimas seis décadas, num caldo de aberrações culturais e "morais", que fizeram, literalmente, "tábua rasa" de todo um modo de vida. O casamento, a instituição familiar, a religião, a identidade nacional, o patriotismo, tudo isto foi colocado em causa e basicamente arrasado nas últimas seis décadas por políticos e "activistas" ao serviço de determinadas agendas obscuras.

O colapso do Ocidente, verdadeiramente, teve o seu início com a emergência da Contracultura na década de 1960 e foi precisamente a partir da emergência deste fenómeno - alimentado ideologicamente pelas teses dos judeus da apócrifa Escola de Frankfurt - que a tragédia se consumou, e a assim-chamada "Civilização Ocidental" começou a entrar pelo cano. A promoção descarada e aberta da homossexualidade e a propaganda à mesma nas escolas públicas, o culto do aborto e dos "charros", o feminismo, a imigração completamente desregulada e em massa, o materialismo, o relativismo moral, o anti-nacionalismo, aberrações intelectuais como a "ideologia de género" e a "teoria crítica da raça", tudo isto são elementos que pouco a pouco e de mansinho, foram corroendo os alicerces civilizacionais do Ocidente desde a década de 1960. 

Diga-se já agora e de passagem, que os povos da Europa de Leste, conseguiram largamente escapar a este flagelo da Contracultura, graças precisamente à União Soviética. Paradoxalmente, o Muro de Berlim que a direita liberal tanto diaboliza e a "opressão" da URSS, foram precisamente os elementos que impediram a Europa de Leste, de seguir o mesmo caminho de decadência e autodestruição que a Europa Ocidental seguiu. O Ocidente capitalista até pode ter ganho a Guerra Fria, mas pelo caminho tornou-se excessivamente materialista e consequentemente, perdeu a sua alma e destruiu a sua identidade...

Nenhuma Civilização pode triunfar ou sequer sobreviver, nas condições em que o Ocidente actualmente se encontra. Isto não é uma opinião. Isto é um facto comprovado pela história. Quer isto dizer que o Ocidente vai desaparecer? Não! Nem por sombras! O Ocidente não vai desaparecer, no entanto, as contradições de diversa ordem, os choques, a instabilidade e a decadência técnica e científica, rumo às quais o Ocidente caminha alegremente em nome da "democracia liberal", irão tornar insustentáveis no médio/longo prazo, os sistemas políticos e sociais que actualmente dominam no Ocidente.

Obviamente, a China e a Rússia, sabem de tudo isto que se está a passar no Ocidente e aguardam pacientemente pela derrocada final, que como eu já afirmei, é neste momento absolutamente inevitável, pois o Ocidente já ultrapassou o "ponto de não retorno", rumo ao colapso civilizacional. 

Ninguém pode já negar que os EUA e a NATO, são militarmente uma sombra daquilo que já foram e a derrota que acabam de sofrer no Afeganistão, demonstra precisamente isto. Os países que outrora tinham medo do Império, vão agora, pouco a pouco, começar a fazer frente ao Império. Os "amigos" do Império, pouco a pouco, vão começar a dar as costas ao Império. As sanções do Império, essas, pouco ou nenhum efeito já fazem, pois a Rússia, a China, o Irão e todos os outros países livres do jugo anglo-sionista, estão a criar um modelo económico próprio, resistente às sanções e influências nefastas do decadente Ocidente, e muito mais justo e livre do que o modelo demo-liberal e capitalista, que os EUA/NATO/UE agressivamente exportam.

O "canto do cisne" em Cabul, é apenas o prenúncio do que está para vir e eu como ocidental, muito sinceramente, sinto-me aliviado por ver finalmente o fim desta loucura colectiva a aproximar-se. O colapso do Ocidente como nós o conhecemos, significará também a derrota definitiva da Nova Ordem Mundial e da cabala sionista. Os governos ocidentais e os actores políticos e sociais, que com a desculpa esfarrapada da "democracia" e dos "direitos humanos", nos arrastaram colectivamente para o abismo, vão ter o seu devido lugar na história, como o exemplo perfeito daquilo que um povo e uma Nação nunca, mas nunca, nunca, nunca, devem de fazer ou tentar imitar.

Isto Deve Ser Uma Teoria da Conspiração Com Toda a Certeza...

 
A (((administração))) Biden.

Coisa estranha esta...  

Os judeus constituem apenas 2.2% da população dos EUA, no entanto, esta pequena minoria étnico-religiosa, parece que ocupa um número largamente desproporcional de cargos estratégicos de poder nos EUA.

Coisa estranha esta... 

Isto deve ser uma teoria da conspiração, cozinhada por algum maluquinho anti-semita e financiado por Putin, com toda a certeza. 

A gloriosa e vibrante "democracia" ocidental, em que se podem ter 31 géneros diferentes e em que se oferecem casas a "refugiados" da imaginária "guerra de Marrocos" - que ocasionalmente dão à costa do Algarve - ao passo que os jovens autóctones portugueses, têm de se amanhar com contratos precários e salários de merda, não pode ser ameaçada por radicais extremistas financiados por Putin, como é claramente o caso do tarado anti-semita que escreve na Toranja Mecânica.   

É preciso defender a gloriosa e vibrante "democracia" à moda kosher do extremismo ilimitado. É com este fim em vista, que a NSA, CIA, MI5 e até o SIS, espiam os seus próprios cidadãos, lendo os seus emails e escutando as suas conversas telefónicas 24/7. Isto é tudo para bem dos goyim e da gloriosa e vibrante "democracia" do Ocidente.

Os goyim, para bem da gloriosa e vibrante "democracia" do Ocidente, têm de votar nos partidos politicamente correctos e aprovados pelo sistema. Os goyim têm de perceber também que Putin e Xi Jinping, são ameaças intoleráveis à gloriosa e vibrante "democracia" do Ocidente e é dever dos goyim combater essas ameaças, nem que tal signifique provocar uma Terceira Guerra Mundial e um consequente Apocalipse nuclear. 

Israel é paz. Israel é amor. Israel é progresso. Os goyim têm de perceber isto, caso contrário, a "democracia" gloriosa e vibrante do Ocidente, está condenada. 

Repitam todos, meus caros goyim: Israel é paz. Israel é amor. Israel é progresso!

Joe Biden é agora o Presidente e a seguir virá a Kamala, que subiu na vida a apanhar "no sítio onde o Sol não brilha" e que promete revigorar como nunca antes a gloriosa e vibrante "democracia" do Ocidente. 

We got a mommy for you goyim, just wait and see...

 

segunda-feira, 30 de agosto de 2021

Façam Boa Viagem!


A "Democracia" e a Asneira, Verdadeiramente, São Livres Para as Minorias Étnicas em Portugal

Se fossem caucasianos a fazer isto nas piscinas de Évora, já há muito que teriam ido "de cana" e não haveria associações de "anti-racismo", que os fossem defender fosse do que fosse. No entanto, como os sujeitos em causa são "nómadas", no pasa nada, caso contrario, já seria "xenofobia" e "racismo":

https://novoadamastor.blogspot.com/2021/08/piscinas-nomadas-e-cabul.html

Em Portugal, hoje, existem duas classes de cidadãos. Temos de um lado a maioria, geralmente caucasiana e autóctone, que tem de pagar impostos e ser sujeita a toda a espécie de humilhações e abusos, da parte de um regime criminoso e visceralmente anti-português (mas "democrata", é claro...). Do outro lado, temos a classe das minorias étnicas, importadas na sua larga maioria nas últimas quatro décadas para dentro do território nacional, sem qualquer critério ou escrutínio adequado. A estas minorias, tudo é permitido e tolerado. Podem apedrejar e atirar garrafas com ácido à polícia nos bairros problemáticos. Podem espancar pessoas livremente, perante a passividade da GNR. Podem ocupar piscinas e terrenos alheios como se fossem propriedade sua. Não há problema. O Zé Tuga paga e se o dinheiro do Zé Tuga não chegar, arranja-se uma "bazuca" da União Europeia, para sustentar o forró do "paraíso" multicultural vibrante em construção. A "democracia" e a asneira, verdadeiramente, são livres para as minorias étnicas em Portugal.

 

domingo, 29 de agosto de 2021

O Ponto a Que Isto Chegou VI...

Jair Messias Bolsonaro, 38.º Presidente da República Federativa do Brasil, grande "patriota" e irredutível defensor do Estado de Israel e do Sionismo.

O Verdadeiro "Flop" Afegão

 

PS: o Congresso da Sucessão?!

 
Os partidos políticos e a "democracia" dos partidos, são de longe, a pior invenção da ciência política. Os partidos políticos em Portugal são um autêntico cancro social que afasta da vida política activa as pessoas realmente bem intencionadas e competentes, para no seu lugar colocar gente medíocre, corrupta, moralmente baixa e sem estofo ou competência adequada, para exercer os cargos a que são eivados pelos "tachos" dos partidos. O Partido Socialista é um óptimo exemplo disto mesmo. Os outros partidos do assim-chamado "arco do poder", não lhe ficam atrás em vícios e corrupção. O problema, ou seja, a causa desta podridão, reside no próprio modelo pseudo-democrático que temos em Portugal e que, no fundo, não passa de uma Partidocracia visceralmente anti-nacional, onde o nepotismo e a corrupção em larga escala reinam. Desde o golpe dos cravos com bafio a Rothschild em 1974, que andamos nesta "festa" e infelizmente, ainda não se vislumbra o fim disto, mas já se pode vislumbrar o desfecho inevitável em que isto vai acabar por descambar, se nada entretanto mudar...

Os portugueses podem ter a certeza de que se não acabarem com este sistema podre e corrupto dentro dos próximos 10 a 20 anos, vai ser o sistema a acabar com eles.  E tudo vai ser feito de forma muito "democrática", pois claro...

quinta-feira, 26 de agosto de 2021

No Dia em Que o Estado Islâmico Matou à Bomba 13 Soldados Americanos em Cabul, Convém Recordar Estas Coisas...

Um artigo do jornal The Independent, de 1993, onde Osama bin Laden é homenageado como sendo um "guerreiro anti-soviético".
 

Nas vésperas do vigésimo aniversário do 11 de Setembro e no dia em que o "Estado Islâmico" matou à bomba 13 soldados americanos em Cabul, convém recordar estas coisas...

O "Frankenstein" wahhabita que o Império Anglo-Sionista criou e alimentou durante anos a fio, está agora a morder a mão do dono que lhe deu comer. Mas fiquem descansados que isto não vai ficar por aqui. O Deep State e a CIA, em conluio com outros serviços secretos ocidentais, vão continuar a armar, treinar e financiar grupos ligados à Al-Qaeda e ao Estado Islâmico na Síria, no Iraque e no Afeganistão. 

Qual a solução para isto? É simples: há que desmantelar o Império Anglo-Sionista e retirar a elite sionista que comanda o mesmo do poder. O terrorismo internacional em larga escala só vai parar no dia em que os principais patrocinadores deste mesmo terrorismo, forem removidos de vez das instituições de poder do Ocidente e de preferência enjaulados ou executados, após um julgamento ao estilo daquilo que se fez aos nazis em Nuremberga.  

 

Será que os Talibã Andam a Ler Mao Tsé-Tung?...

 
 

A "coisa" é estranha e paradoxal, mas está longe de ser implausível: 

https://www.abc.net.au/news/2021-08-19/taliban-return-power-afghanistan-mao-zedong-us-lessons-history/100386792

No início de Agosto e à medida que a ofensiva Talibã rumo a Cabul acelerava cada vez mais, eu dei-me ao trabalhar de analisar com um pouco de atenção mais aprofundada, a estratégia de guerrilha que os Talibã estavam a empregar contra o governo afegão. Imediatamente percebi que os Talibã estavam a colocar em prática uma cópia, passo a passo e ponto por ponto, da estratégia de guerrilha que Mao Tsé-Tung delineou para derrotar os invasores japoneses na China e posteriormente, as forças de Chiang Kai-shek na década de 1940.

"Cerca as cidades a partir do campo." - Mao Tsé-Tung, (1893 - 1976)

Basicamente, aquilo que Mao Tsé-Tung fez durante a segunda metade da Guerra Civil Chinesa (1946 - 1950), foi empregar uma estratégia de guerrilha, cuja doutrina se baseava na conquista e controlo das províncias rurais e do campo, sendo que apenas e só depois de o campo estar nas mãos das forças maoistas, é que Mao Tsé-Tung avançava sobre as cidades, começando pelas mais pequenas e gradualmente subindo na escala até as principais cidades ficarem isoladas e por isso mesmo, muito mais vulneráveis e fáceis de conquistar. Isto foi, em suma, exactamente aquilo que os Talibã fizeram no Afeganistão com a ofensiva que os levou a reconquistar Cabul. Primeiro atacaram e tomaram as zonas rurais mais isoladas, depois começaram a tomar as províncias e cidades de maior importância, até que por fim conseguiram chegar a Cabul.

Independentemente daquilo que cada um possa pensar de Mao Tsé-Tung, é um facto que o líder histórico chinês foi, de longe, o maior estratega de guerra de guerrilha que alguma vez existiu. Como disse Thomas Marks, "Mao está para a guerra irregular, como Napoleão e Clausewitz estão para a guerra regular." Por isto mesmo, não me espantaria nada que os Talibã - que não devem nada à inteligência - andassem a ler pelos menos alguns textos escritos pelo "Grande Timoneiro".

Quanto a mim e por falar em Maoísmo, eu já li integralmente os quatro tomos das Obras Escolhidas de Mao Tsé-Tung. Muito sinceramente, a ideia geral com que fiquei é de que Mao Tsé-Tung tinha muito mais de nacionalista e de líder militar, do que propriamente de marxista. Isto ajuda a entender porque é que na China actual, o Partido Comunista é mais conservador e abertamente nacionalista, do que qualquer partido da dita "direita" que existe hoje na Europa Ocidental. Isto também ajuda a entender porque é que a União Soviética colapsou, ao passo que a China comunista se manteve firmemente em pé. A fusão do Comunismo com o Confucionismo, parece ter sido o segredo do sucesso. Enquanto se mantiver nesta linha, o regime que hoje governa a China será inderrotável.

 

quarta-feira, 25 de agosto de 2021

Putin: O Ocidente Tem de Parar Com a Política Irresponsável de Querer Impor Valores Estrangeiros a Outros Países!

 

 
Entretanto, os "papagaios" de serviço na "nossa" comunicação social - tanto à direitinha, como à esquerdinha - continuam sem dizer o óbvio, ou seja, que a retirada apressada e desorganizada que os EUA estão a fazer do Afeganistão, não aconteceu por descuido ou incúria da administração Biden, mas foi propositadamente concebida desta forma, precisamente para tentar fazer com que os Talibã não conseguissem assumir o controlo da situação e consequentemente, arrastar assim o Afeganistão para uma guerra civil, à semelhança do que o Império já fez no passado no Líbano, no Iraque, na Líbia e tentou repetir na Síria. 

Aquilo que o Império não esperava e foi aqui que o Deep State errou em toda a linha, foi que os Talibã estivessem tão bem preparados para avançar tão rapidamente e reconquistar praticamente todo o Afeganistão, numa ofensiva relâmpago que durou apenas cerca de três meses até à captura de Cabul. Este avanço fulminante da parte dos Talibã, foi o que impediu largamente a CIA de conseguir organizar uma nova guerra civil no Afeganistão, que posteriormente de acordo com os cálculos da CIA, deveria "derramar" para dentro do Irão, da China e da Rússia.

O facto, dê por onde der, é que os Talibã acabam de fazer xeque-mate ao Império Anglo-Sionista na Ásia Central

Xi Jinping, Vladimir Putin e Ebrahim Raeisi, vão agora tratar do resto e terminar o trabalho que falta fazer e que está ainda muito longe de concluído. Os Rothschild, os seus lacaios e o bando de parasitas da Humanidade que apoiam os degenerados morais da UE e da NATO, vão ser corridos até aos portões do inferno, esta é a única garantia que vos posso dar. 


terça-feira, 24 de agosto de 2021

E aí Vão Mais Quatro Mercenários a Caminho de Cabul...


E aí vão mais quatro mercenários a caminho de Cabul:

https://observador.pt/2021/08/24/quatro-militares-portugueses-a-caminho-de-cabul-para-retirar-afegaos-que-se-refugiarao-em-portugal/

Estão a ver, o Zé Tuga anda a trabalhar a recibos verdes em troca de um salário mínimo de 665 euros e paga impostos para isto. É para andarmos a sustentar mercenários que são enviados para combater nas guerras coloniais do Império Anglo-Sionista e depois, quando a "coisa" dá para o torto, o Zé Tuga acolhe e dá de comer aos refugiados, que são uma consequência directa das acções dos senhores dessa organização terrorista internacional, que dá pelo nome de Organização do Tratado do Atlântico Norte (NATO/OTAN)

Percebem?! É assim que isto funciona e quem bufa contra isto, é "anti-democrata" e "pró-Talibã", pá!!!

 

Ayatollah Iraniano Alireza Ebadi: "Os Judeus São o Maior Problema Que o Islão e a Humanidade Enfrentam"

 
Os apócrifos media ocidentais repetem constantemente que a República Islâmica do Irão é uma "ditadura", mas a verdade é que se alguém em Portugal disser publicamente aquilo que o Ayatollah Alireza Ebadi afirma no video acima, pode ser perseguido judicialmente e condenado a pena de prisão por alegada "incitação ao ódio", "anti-semitismo", "xenofobia", "racismo", "negacionismo" e sei lá quantas mais acusações. 

Existe vinte vezes mais liberdade de expressão na República Islâmica do Irão, do que em qualquer País da Europa Ocidental neste momento. É por estas e muitas outras que as "democracias" hipócritas do Ocidente, estão completamente descredibilizadas e cada vez têm mais inimigos dentro e fora de portas.

Tal como dizia o imortal Voltaire: "Para saberes quem te governa, descobre quem são aqueles que não podes criticar..."

 

segunda-feira, 23 de agosto de 2021

A Derrota dos EUA/NATO no Afeganistão é Também a Derrota do Terrorismo Internacional e do Wahhabismo

  Membros das Forças Especiais dos Talibã, hasteiam a bandeira da vitória, no rescaldo da reconquista de Cabul pelos Talibã.
 

Os analistas da República Islâmica do Irão e friso que estes são analistas mesmo a sério - ao contrário dos "papagaios" do sistema que diariamente opinam nos media ocidentais - acreditam que a retirada apressada dos EUA do Afeganistão, visava criar propositadamente instabilidade no País e consequentemente, lançar o mesmo em guerra civil:

https://english.almayadeen.net/articles/analysis/the-flight-from-kabul-and-the-legacy-of-general-soleimani

Os EUA nunca tiveram intenções de negociar seriamente com os Talibã, no sentido de fazerem uma transição de poder estável e benéfica para todas as partes. Pelo contrário, a forma como os EUA abandonaram a base aérea de Bagram a meio da noite e a forma como deram, literalmente, as costas ao governo-fantoche que eles próprios criaram, apenas prova e demonstra sem margem para dúvidas, que o verdadeiro plano dos EUA para o Afeganistão, era o de lançar a anarquia e a guerra civil total no mesmo

Os EUA/NATO/UE e Israel, estão directamente por detrás da criação do "Estado Islâmico" e os serviços de informações iranianos e russos, há muito que sabem que os EUA retiraram elementos do "Estado Islâmico" da Síria e do Iraque, que posteriormente foram transportados para o Afeganistão, onde os EUA planeavam fomentar uma guerra civil devastadora entre o "Estado Islâmico" e os Talibã. Ora, não é preciso ser-se muito inteligente para se perceber que os verdadeiros alvos a atingir com este maquiavélico plano, seriam a Rússia, o Irão e principalmente, a China. Parece, no entanto, que "o tiro saiu pela culatra" aos EUA e numa autêntica blitzkrieg, que foi muito discretamente apoiada nos bastidores pela Rússia, a China e o Irão, os Talibã conseguiram dominar a situação e tomar o controlo de praticamente todo o Afeganistão. Claramente, a guerra civil que os EUA planeavam criar no Afeganistão, já era e até a própria resistência anti-Talibã, já se está a desmoronar por completo...

A derrota dos EUA/NATO no Afeganistão é portanto e também, a derrota do terrorismo internacional e do Wahhabismo.

O apoio comedido que a República Islâmica do Irão - através da Força Quds - forneceu aos Talibã nos últimos anos, foi crucial para estes conseguirem derrotar o "Estado Islâmico" no Afeganistão e a coligação do terror, liderada pelos EUA. É um facto que o espectro do General Soleimani, continua a assombrar a elite degenerada que comanda o Império e mesmo depois de fisicamente morto, Soleimani continua a ser a principal força impulsionadora da derrota dos EUA/NATO/UE e Israel na região médio-oriental.

 

domingo, 22 de agosto de 2021

Isto é o Que um Golpe Militar Nos EUA Pode Fazer

 
Eu já o escrevi uma vez e volto a repeti-lo: se os militares estado-unidenses ainda desejam ter algum resquício de País no futuro, o golpe militar e o derrube do Deep State pela força, é o único caminho viável e realista a seguir

O povo americano merece melhor e o Mundo também merece e precisa urgentemente de melhor.

Os EUA não são um País livre e muito menos são um País "democrático" como é comum dizer-se. Idem para Portugal e todas as nações que estão na órbita de influência do Império Anglo-Sionista. Nestas nações, quem manda é o sistema de poder instalado e este sistema de poder está inteiramente nas mãos de uma minúscula elite de parasitas, que faz uso de eleições viciadas e que com o auxílio de uma classe pseudo-jornalística totalmente corrupta e vendida, mantém o sistema vigente em funcionamento. Até quando é que este estado de coisas vai durar, eu não sei, mas sei e tenho a certeza absoluta de que isto não pode durar para sempre. 

O irmão Nathanael, como sempre, está de parabéns pelas duras verdades que vai dizendo e divulgando através dos seus videos. Só por isto, este servo de Cristo já merece ter um lugar garantido no Céu. Que os anjos o protejam, pois ele bem que precisa... 

  

O Ponto a Que Isto Chegou V...

 

sábado, 21 de agosto de 2021

Isto é o Que os Chineses Pensam da Derrota dos EUA/NATO no Afeganistão

 
Que a NATO e os EUA não passam de um "tigre de papel", sei eu há anos e sabe também qualquer pessoa que estude com o mínimo de seriedade, as reais capacidades militares daquilo que é erroneamente conhecido como sendo a "greatest military power on earth".

O mito da invencibilidade militar americana foi fortemente impulsionada pelo colapso da União Soviética há trinta anos e pela Guerra do Golfo em 1990-1991, onde os mísseis de cruzeiro e as bombas "inteligentes" que os EUA então apresentaram ao Mundo, serviram para reforçar e muito a ideia de que a máquina militar americana era inderrotável. Um certo Fukuyama até chegou a prever o "fim da história", uma afirmação que três décadas depois e perante o que está a acontecer no Afeganistão, só dá vontade de rir a bandeiras despregadas.

O conflito na Jugoslávia aumentou ainda mais a percepção da invencibilidade americana, no entanto, os primeiros sinais de que afinal o gigante tinha "pés de barro", surgiram logo em 1999, quando uma brigada de defesa anti-aérea das Forças Armadas da Sérvia, abateu um F-117 Nighthawk da Força Aérea Americana. Supostamente e segundo aquilo que o Pentágono afirmava na altura, o Nighthawk era um avião que incorporava a então inovadora tecnologia stealth e por isso mesmo, deveria de ser invisível para os radares sérvios de fabrico soviético. O choque do que tinha então acabado de acontecer, foi ainda maior quando o Pentágono descobriu que o Nighthwak tinha sido abatido por um "antiquado" sistema de defesa anti-aérea - o S-125 Neva/Pechora - concebido na início da década de 1960. 

Mas os EUA não retiraram lições de nada disto, pelo contrário, após os ataques do 11 de Setembro de 2001 - que são uma estória que continua ainda muito mal explicada - deram em atacar e invadir praticamente todos os países que consideravam como sendo estados párias e que eram militarmente vulneráveis ao ataque. Depois do Afeganistão, destruíram o Iraque de Saddam Hussein, seguiu-se a Líbia de Gaddafi em 2011 e a Síria do Presidente al-Assad foi alvo do mesmo processo de destruição, porém, até hoje conseguiu resistir graças ao crucial apoio russo e iraniano. Estou em crer até que uma potencial invasão da Venezuela e do Irão, também esteve nos planos do Pentágono, especialmente nos anos da administração Bush, no entanto, a feroz resistência iraquiana e afegã à ocupação anglo-sionista, conseguiu fazer com que o Império ficasse sem forças para tanto. A Coreia do Norte também só se terá safado pelo mesmo motivo e porque o regime decidiu avançar com um programa de construção de armas nucleares, que é um autêntico seguro de vida para a Dinastia Kim. 

Pouco a pouco, ao longo dos últimos vinte anos, os países que foram ameaçados pelos EUA/NATO e que sabem que se encontram na "lista de abate" do Império Anglo-Sionista, estudaram o modo americano de fazer a guerra e tiraram várias conclusões que lhes permitiram começar a responder ao Império, de forma a tornar a tecnologia militar do mesmo inútil ou pelo menos largamente ineficiente no campo de batalha. É assim que temos agora a Rússia de Putin armada com mísseis hipersónicos - como o Kh-47M2 Kinzhal - totalmente impossíveis de interceptar e que reduzem os obsoletos porta-aviões americanos a meros caixões flutuantes. A China avança pelo mesmo caminho e em breve irá apresentar novas "surpresas" ao Mundo. O Irão, por sua vez, investe pesadamente em mísseis balísticos que são cada vez mais capazes e precisos. 

A podridão que reina nas sociedades ocidentais e que vai, eventualmente e inevitavelmente, levar ao colapso dos sistemas de organização político-sociais das mesmas, é um dado adquirido. Os adversários do projecto imperialista "liberal" e "democrático", que os EUA/NATO e a UE representam, sabem disto muito melhor do que eu e sabem também, que apenas precisam de esperar pelo fim, tal como os Talibã esperaram e resistiram pacientemente durante vinte anos. 

A queda de Cabul é apenas o prenúncio do que aí vem. Eu se fizesse parte da apócrifa elite política e muito "democrática" que sequestrou o Ocidente, pelo sim pelo não, começava a dormir com as malas feitas e o passaporte na mesa de cabeceira...

 

sexta-feira, 20 de agosto de 2021

Eu Não Presto Homenagem a Mercenários Que Combatem Pelos Interesses do Estado de Israel e da Família Rothschild

  
 

Correm por aí nas redes sociais, a propósito da recente derrota da NATO no Afeganistão, vários pedidos para que se preste homenagem aos militares portugueses que morreram ou ficaram feridos no Afeganistão.

Curto e grosso: Eu não presto homenagem a mercenários que combatem pelos interesses do Estado de Israel e da Família Rothschild. 

Os EUA/NATO não foram para o Afeganistão para combater "o terrorismo" como reza a versão oficial da estória, mas sim, para assegurar no Afeganistão uma base estratégica, a partir da qual a elite anglo-sionista que controla os EUA, planeava poder ameaçar e desestabilizar os países da região, principalmente, a China, a Rússia e o Irão. 

Os militares portugueses que foram para o Afeganistão, foram para lá na condição de tropa colonial do Império Anglo-Sionista. Os militares portugueses, principalmente os oficiais traidores que consideram isto uma coisa boa, ou seja, que defendem que haja portugueses que devem de andar a lutar e a morrer pelos interesses do Império Anglo-Sionista, na minha opinião e é a minha opinião, só merecem é levar bofetada nas trombas ate ficarem com os fácies todos partidos

O último e "grandioso" plano que os EUA/NATO tinham intenções de aplicar no Afeganistão, era o de criarem bases no mesmo para os extremistas uigurs, a partir das quais estes poderiam depois atacar a China. Graças aos Talibã, este plano parece ter ido definitivamente "por água abaixo" assim como foi também a honra das Forças Armadas Portugueses, que estão hoje reduzidas a um corpo expedicionário do Império Anglo-Sionista. 

Os "democratas" fundadores da Terceira República, fizeram de tudo para derrotar Portugal em África, porque alegadamente diziam eles, Portugal tinha "colónias" e isso era intolerável. No entanto, são estes mesmos filhos de putas da Terceira República, que depois querem enviar tropa portuguesa para combater nas guerras coloniais do Império Anglo-Sionista, que são e sempre foram apenas do interesse do Estado Terrorista de Israel, da Família Rothschild e restantes parasitas da Humanidade, que estão por detrás do projecto satânico da Nova Ordem Mundial

A verdade que nenhum ou quase nenhum oficial militar em Portugal tem coragem de dizer pública e abertamente, é que Portugal hoje não passa de uma colónia do Império Anglo-Sionista e o "feijão verde" português, esse, limita-se a ser "carne para canhão" que se bate pelos interesses da NATO, que é e sempre foi, de resto, o braço armado das forças da Nova Ordem Mundial. 

Dom Afonso Henriques - que Deus o guarde esteja lá onde ele estiver - não criou o Exército Português para o mesmo andar a lutar pelo Sionismo Internacional pelo Mundo fora. Os militares portugueses, principalmente os oficias, deveriam pintar todos a cara de preto!

 

quinta-feira, 19 de agosto de 2021

Os Talibã Não Derrotaram Apenas os EUA/NATO, Eles Derrotaram a Ordem "Liberal" e "Democrática" Que o Ocidente Quer Impor ao Mundo


O op-ed que foi hoje publicado por Brett Sinclair na RT, é absolutamente devastador e expõe a fundo os motivos pelos quais tantos ocidentais estão felizes com a derrota dos EUA/NATO no Afeganistão e cada vez sentem mais simpatia pelos Talibã:

«However, how can a Westerner like me feel sympathy for the Taliban? Believe it or not, there are many who view the recent dramatic turn of events with an observer's dark joy. Those who are tired of seeing their own culture and religion eroded from within, and who feel a kind of secret relief at seeing someone successfully resist globalism, feminism, LGBTQ+ and critical race theory (CRT) ideology. They can see that their society has been turned into something dark by a manufactured value-system, promulgated by political elites and the money-power behind them.

When you are robbed of national pride, have no faith in your leaders, have no control over citywide riots or crime epidemics, and when the cornerstone of civilization itself (the family) is degraded by your own government, then you cannot so easily root for the home team in foreign engagements.

Even those who do ‘root’ for continued American forever-wars do not do so with the US itself in mind, so much as the expansion of vague globalist values. They show allegiance to an abstract concept of democracy which they feel they themselves represent, so much so that the democratic choices of nations they dominate do not count unless first approved by them. They speak in buzzwords like ‘inclusivity’ and ‘intersectionality’ and believe they are forever on the side of good. They have no apparent grasp or care for causality, let alone reality.

For those who have lost faith in this approach and in the Western elites, and who have no power to change things, there are no options that remain apart from taking joy at their misguided failures. 

Who, in truth, can support a system that creates foreign wars without end or purpose (apart from destabilization), on the supposed behalf of other foreign nations but really in the interests of global finance or in the runaway scheming of a neocon military-industrial complex. A system that seeks only get-rich schemes for its own elites, or the market manipulations of Wall Street, or the destabilizing economy-gambling of men like George Soros. 

America’s losses are mounting both home and abroad, and, as its grip on international hegemony falters, no effort is being made to heal bitter bipartisan domestic wounds. 

The world tires of endlessly multiplying victimhood flags (rainbow and Black Lives Matter) that hang outside US embassies, as a warning to disbelievers. Yet the American elite seems only faintly aware of the loss of trust they have suffered in the wake of this incessantly delusional decision-making, which, in Afghanistan alone, has resulted in over 100,000 deaths. And to what end?

Already, there are policy pronouncements in Kabul that sound more adroit and well-considered than anything under the US occupation. A Taliban spokesman has declared that the country would“no longer be a hub for poppy cultivation and the drug business.”

Ironically, America itself, suffering from a domestic opioid crisis it would rather ignore than tackle, might benefit the most from this. Western mainstream journalists, who convey only the narrative of the political elite, have zero self-awareness when bringing up concerns over ‘freedom of speech’ to the Taliban spokesman, who very easily replied that the question should be asked of US companies like Facebook. 

The Taliban may be extreme, indeed it has promised strict action against bankers and financial workers, gay activists, feminists and journalists, but it represents the polar opposite to the Orwellian neoliberalism which rules ‘permissible’ Western thought. 

This tyrannical Big Brother works in the opposite direction, on the behalf of radical feminists, the transgender lobby and elite bankers, and with its own extreme zeal. American liberals cannot even conceive that their rainbow-flag, junk-consumerist ideology comes, as much as any other, at the point of a gun. Nor can they conceive that anyone would reject their wokeness and the culture that goes with it (you mean you aren’t hypnotized by Lizzo, ‘Cuties’ and ‘Love Island’?)

The Afghans have chosen: they have rejected Western liberalism and American consumerism. They wish to live by Sharia law. And given the choice, who can blame them?»

A actual ordem "liberal" e "democrática" do Ocidente, que anda a tentar impor ao Mundo as suas ideias depravadas sobre ideologias de género, paradas gays, feminismo, direitos LGBT e aberrações intelectuais como a assim-chamada "teoria critica da raça", tem cada vez mais os dias contados. 

O Ocidente, hoje, transformou-se numa distopia que nada tem de verdadeiramente "democrático" e muito menos de "liberal". A forma fanática como os dissidentes do sistema instalado são perseguidos, difamados, censurados e ostracizados pelos guerreiros woke nas redes sociais, é a maior prova da grave doença que está gradualmente a corroer todos os aliceres morais, espirituais e culturais do Ocidente. É precisamente contra esta podridão, contra esta anti-Civilização, que os Talibã lutaram com tremendo sucesso no Afeganistão. Agora a China, a Rússia e o Irão, têm uma clara responsabilidade colectiva no sentido de conseguir comunicar positivamente com os Talibã e garantir assim que os mesmos passam para o lado do bem, de uma vez por todas. 

P.S. - No momento em que escrevo estas palavras, acabo de saber que o chefe da diplomacia da UE, o senhor Josep Borrell, quer controlar a influência russa e chinesa no Afeganistão. Segundo o senhor Borrell, a UE não pode "deixar os russos e os chineses assumirem o controle da situação". Alguém que faça o favor de informar o senhor Borrell, de que a Rússia e a China estão-se redondamente nas tintas para a UE e as opiniões dos degenerados morais que mandam na mesma. Os tempos em que o Mundo andava a reboque daquilo que os EUA/NATO e a UE ditavam, acabaram de uma vez por todas.

Estas São as Forças Especiais dos Talibã Que Derrotaram a NATO no Afeganistão

 
Se é verdade que os Talibã são uma força militar muito inferior à NATO em termos de capacidades a todos os níveis, também é verdade que foi esta mesma força militar que acabou de derrotar perante os olhos do Mundo, a assim-chamada "greatest military power on Earth"

Os Talibã são bons soldados. Ponto. 

Os Talibã merecem também o respeito de todos os verdadeiros nacionalistas. 

Foram os Talibã que literalmente acabaram de partir os dentes aos cães imundos da NATO e expuseram a máquina militar americana ao ridículo. Foram os Talibã que acabaram de derrotar o Império Anglo-Sionista, num território de elevadíssima importância estratégica, na grande guerra contra a Nova Ordem Mundial que está em curso. 

Os Talibã conseguiram, contra tudo e contra todos, libertar o Afeganistão das garras dos Rothschild

Eu tenho neste momento um profundo respeito pelos Talibã e digo isto, porque eu tenho visto com os meus próprios olhos aquilo que os ianques e a NATO têm feito por todo o Médio Oriente e pelo Mundo fora. Eu vi com os meus próprios olhos aquilo que a NATO infligiu e continua a infligir ao corajoso e martirizado povo da Síria, a mando dos psicopatas que controlam o Estado Terrorista de Israel. Eu sei aquilo que a NATO é realmente e é por isso mesmo que eu não tenho qualquer pena, nem compaixão, pela derrota catastrófica que os militares-terroristas da mesma acabam de sofrer no Afeganistão.

Os verdadeiros terroristas e criminosos são os ianques e a NATO

Quem tem de ser travado, para bem da Civilização, são os ianques e a NATO, não são os desgraçados dos Talibã. 

 

quarta-feira, 18 de agosto de 2021

O Islão Não é Uma Barbárie e os Talibã Também Não São Nenhuns Bárbaros

 Uma delegação oficial dos Talibã em recente visita a Moscovo.    
 
Lê-se aqui que o Islão é "uma barbárie", isto a propósito da recente tomada de poder pelos Talibã no Afeganistão. A criatura que escreve isto, é um católico assumido e bem conhecido na blogosfera da direita conservadora/nacionalista portuguesa. Seria interessante saber se a criatura em questão, terá conhecimento do tempo em que a Igreja Católica queimava pessoas vivas em fogueiras, nos infames autos de fé.

Não existe um único Islão, da mesma forma que não existe um único Cristianismo, nem um único Judaísmo, nem um único Budismo, nem um único Hinduísmo, nem um único Comunismo, nem um único Fascismo, nem um único Capitalismo, nem um único Nacionalismo, nem um único Socialismo, nem um único Ecologismo, nem um único Anarquismo, etc... Todas as religiões e ideologias políticas, sem excepção, estão abertas a uma variedade de interpretações e no fundo, se quisermos, são também "pau para toda a obra", que depende inteiramente das conveniências e da vontade de quem num dado momento histórico detém as rédeas do poder.

O Islão não é uma barbárie e os Talibã também não são nenhuns bárbaros

O Islão é, essencialmente, uma religião guerreira que nasceu e se desenvolveu num determinado contexto sócio-cultural e que conforme a interpretação, tanto pode ser uma religião da paz, como pode descambar na insanidade total e em violências extremas, como as que vimos a serem praticadas pelo autodenominado "Estado Islâmico" na Síria e no Iraque. 

Os Talibã que acabaram de tomar o poder em Cabul, já não são os mesmos Talibã que haviam tomado conta do Afeganistão na década de 1990. Os Talibã de 2021 parecem ser muito mais moderados e a prova disso, é a amnistia geral que acabam de declarar, em compasso com o facto de já não estarem a obrigar as mulheres a usar burca e quererem até que as mesmas participem no governo. Os Talibã estão claramente a assumir uma nova postura perante a sociedade, porque estão também intelectualmente mais maduros e capazes e por isso mesmo, a interpretação que estão a fazer da Lei Islâmica, também vai ser necessariamente diferente daquela que faziam em 1996, ano em que tomaram o poder pela primeira vez.

A última prova de que os Talibã estão, de facto, mais moderados e intelectualmente maduros, é a recente sugestão da parte dos mesmos, de que estes poderão vir a adoptar como base legal a Constituição Afegã de 1964, que é uma Constituição monárquica e bastante equilibrada para o contexto social com que estamos aqui a lidar. Diga-se de passagem que não é ao acaso que os Talibã estão a querer resgatar alguma da herança monárquica do Afeganistão, isto trata-se de estratégia política e visa também, tanto a nível interno, como externo, conferir legitimidade legal e social ao novo regime. 

Por agora, os Talibã estão a ir no bom caminho e tudo aponta para que os mesmos venham a conseguir governar o Afeganistão com muito maior competência e seriedade, do que o imensamente corrupto e incompetente governo-fantoche, que os EUA/NATO deixaram instalado em Cabul. O próximo passo, agora, é o reconhecimento oficial do Emirado Islâmico do Afeganistão, por parte da China e da Rússia, que parecem estar rapidamente a caminho de se tornarem os grandes parceiros dos Talibã no concerto internacional das nações. Um eventual acordo de segurança mútua entre estes países e o Afeganistão dos Talibã, pode também ser vislumbrado no horizonte, isto se os Talibã se comportarem bem e provarem através das suas acções, que realmente mudaram de vez.

Já agora, aproveito para informar o governo apócrifo de Portugal, de que não há qualquer motivo para estar a evacuar portugueses do Afeganistão. Os Talibã já garantiram oficialmente a segurança de todas as embaixadas estrangeiras no País e não é do interesse dos Talibã atacarem estrangeiros. O embaixador russo continua em Cabul e já está até activamente a trabalhar de perto com os Talibã. Só a rapaziada da NATO é que "deu à sola" em pânico, talvez por saberem a quantidade de civis afegãos inocentes que mataram ou mutilaram à bomba nos últimos vinte anos e por isso mesmo, temiam represálias da parte dos novos senhores de Cabul. Ora, tal não vai acontecer, pelo simples motivo de que os Talibã são tudo menos estúpidos e estão também a demonstrar um elevado grau de disciplina e responsabilidade.

É uma evidência que os Talibã que foram diabolizados e atacados de todas as formas pela NATO nos últimos vinte anos, são agora os mesmos Talibã que estão a prometer garantir a segurança das embaixadas da NATO no Afeganistão. Ontem e perante os continuados ataques da parte dos governos e media dos EUA/NATO, os Talibã deram uma conferência de imprensa em que afirmaram explicitamente que querem "ter boas relações" com todos os países do Mundo. Enquanto os EUA e a NATO continuam com uma retórica de ódio total aos Talibã e uma postura de arrogância sem limites, os Talibã, pelo contrário, estão a estender um ramo de oliveira e a oferecer a paz. Afinal de contas, quem é que são os verdadeiros bárbaros?...


domingo, 15 de agosto de 2021

Em Cabul, a Partir de Hoje, Quem Manda São os Talibã e Não o Lixo Patrocinado Pelos Rothschild

 
Tal como eu previ neste mesmo blogue há alguns dias, Cabul foi capturada antes do dia 11 de Setembro de 2021. A CIA e a maioria dos serviços de informações da NATO, tinham previsto que ainda levaria cerca de seis meses para os Talibã conseguirem capturar Cabul.  

No momento em que escrevo estas palavras, os Talibã preparam-se para declarar oficialmente o Emirado Islâmico do Afeganistão. Pessoalmente, não sou de forma alguma um apoiante ou admirador do movimento Talibã e rejeito qualquer comparação entre o mesmo e por exemplo, o Hezbollah ou o Hamas. No entanto e apesar de tudo, vejo como uma vitória estratégica a expulsão total dos EUA/NATO do Afeganistão

O Império Anglo-Sionista deve ser e tem de ser combatido por todos os meios possíveis, em todos os cantos da Terra. Como tal, o que eu espero agora dos Talibã, é que os mesmos busquem legitimidade internacional junto da China, da Rússia e do Irão. Tal pode ser alcançado, desde que os Talibã se comprometam seriamente a não criar problemas desnecessários, nem a dar guarida a grupos terroristas, que tenham a intenção de desestabilizar a região e atacar outros países. A boa vizinhança é o passo essencial que os Talibã têm de dar, se não quiserem ficar totalmente isolados do resto do Mundo e reduzidos à condição de párias internacionais.

Quanto à apócrifa elite dos EUA/NATO/UE, esses suínos que lambam agora as feridas e que se deitem na sarjeta da imundice moral, derrota e humilhação, que criaram para eles mesmos. Em Cabul, a partir de hoje, quem manda são os Talibã e não o lixo patrocinado pelos Rothschild

 

O Afeganistão "Não é Igual ao Vietname"? Têm mesmo a certeza disso?!!

  Os funcionários da embaixada dos EUA em Saigão, fogem em pânico de helicóptero, perante a ofensiva do Vietname do Norte em 1975, que acabou com a captura de Saigão e a queda do governo-fantoche instalado pelos EUA no Vietname do Sul.


Os funcionários da embaixada dos EUA em Cabul, fogem em pânico de helicóptero, perante a ofensiva Talibã em 2021, que acabou com a captura de Cabul e a queda do governo-fantoche instalado pelos EUA no Afeganistão.
 

Pode a América Branca Sobreviver?

 

    
Claro que isto já se sabe que na Nova Ordem Mundial que está em preparação, a única raça que terá o direito a sobreviver, será a raça judaica. É exactamente por isto que Israel, é o ÚNICO Estado no Mundo que se considera a si mesmo como sendo oficialmente um Estado etno-religioso judaico. Os goyim da Europa e dos EUA, pelo contrário, têm de escancarar as fronteiras e acolher todo o migrante que lhes venha bater à porta, caso contrário, são "racistas" e "xenófobos", pá!     
 

A Humilhação (Merecida...) do Almirante Gouveia e Melo em Odivelas

 
Não tenho pena do Almirante Gouveia e Melo e só lamento é que não o tenham humilhado mais ainda em Odivelas. Quero que se lixem os militares pseudo-portugueses, que colaboram com o actual regime e que legitimam a destruição de Portugal às mãos da canalha anglo-sionista

A Terceira República que arda de vez e que leve com ela estes militares de merda, que só sabem falar de "democracia" e mais "democracia", ao passo que o estado da Nação é cada vez pior. Eu até que nem sou propriamente um simpatizante do Salazarismo (pelo motivo que já expliquei aqui...), mas para ter um lixo de regime como o que vigora actualmente em Portugal, mais valia termos o "botas" no poder.


sábado, 14 de agosto de 2021

O Povo (Como Colectivo) é Estúpido

 
Tal como dizia Albert Einstein, "há duas coisas que são infinitas: o Universo e a estupidez humana..."

Os EUA Continuam a Pilhar os Recursos Naturais Que Pertencem Por Direito ao Povo da Síria

 
Em nome da "democracia" e dos "direitos humanos", os EUA e os seus aliados curdos, continuam a pilhar os recursos naturais que pertencem por direito ao povo da Síria:

«Os EUA e seus aliados curdos sírios controlam mais de 90% da área de produção de petróleo da Síria, privando o país atingido pela guerra da necessária fonte de combustível e renda.

De acordo com a agência de notícias SANA, 55 veículos, incluindo caminhões-cisterna carregados de petróleo e veículos de escolta, saíram da Síria em direção ao Iraque através da fronteira de al-Waleed nas últimas 24 horas.

Anteriormente, o Irã tinha enviado fornecimentos de emergência de combustível à Síria para ajudar a amenizar a escassez, mas seus navios foram alvo de ataques por sabotadores israelenses durante o percurso.

Na sexta-feira (13), fontes locais fora da cidade de al-Yarubiyah afirmaram à SANA que um comboio de 25 veículos, incluindo caminhões-cisterna, caminhões cobertos e frigoríficos foram enviados para leste, em direção à fronteira.

Antes disso, as fontes reportaram que 30 veículos, incluindo caminhões-tanque, caminhões e veículos blindados também seguiram em direção ao posto fronteiriço de al-Waleed.

O governo sírio considera al-Waleed uma travessia ilegal, pois não possui controle do posto fronteiriço no terreno.

Na última terça-feira (10), a SANA informou que um comboio de 80 veículos da região de Al Jazeera saiu do país, através de al-Waleed, além de 25 caminhões-cisterna que foram avistados seguindo em direção ao Iraque.

O Leste da Síria abriga grande parte das riquezas de petróleo e gás do país. As forças norte-americanas e seus aliados exploram a região de todas as maneiras, a fim de bloquearem o retorno do governo de Damasco à região.»

Os governos da UE sabem perfeitamente bem aquilo que realmente se está a passar na Síria, porém, mantêm-se em silêncio e por isso mesmo são cúmplices desta ignomínia, tal como são cúmplices activos do continuado apoio em dinheiro, armas e treino, que os EUA/NATO, em conluio com Israel, fornecem ao "Estado Islâmico" e à Al-Qaeda na Síria

É por estas e muitas outras, que de cada vez que eu ouço um político da UE ou dos EUA a discursar, com aquele ar arrogante, típico dos canalhas que julgam que são os donos da moral e a falar nos ditos "valores" da treta do Ocidente, a única coisa que me apetece, muito sinceramente, é escarrar-lhe na cara. 

A classe política ocidental mete nojo. Nojo absoluto.